As escolhas

Que me desculpem os leitores deste blog, mas foi difícil escolher um tema que eu tivesse bons argumentos para apresentar e que pudesse resultar num bom texto como este que escrevo. É um tema complicado de escrever pois envolve a vida, crenças, Deus, nossas escolhas… espero agradar a todos.

Pois bem, estava lendo a parte 6 (Livre-Arbítrio) do livro Uma Breve Introdução à Filosofia, de Thomas Nagel e comecei a refletir melhor sobre nossas Escolhas, mas apenas como elas se estabelecem, sem pensar nas consequências diretas sobre nossa vida.

Com base no texto e nas (poucas) experiências pelas quais passei e pelo que ouvi os outros falarem com base em suas variadas crenças, consegui estabelecer o que imagino ser as ideias mais “concretas” sobre os momentos de escolha:

1) A sua vida toda foi escrita por um ser superior (Deus, talvez), então não tem o que mudar, as mudanças que você fez ou fará já estavam determinadas, assim como seus erros, acertos, dúvidas e mudanças. Caso escolhesse um bolo de chocolate ao invés de uma pêra para a sobremesa, isso já seria sabido por alguma força superior e você não teria como mudar isso, assim como se você escolhesse a pêra isso também já estaria escrito no seu “Livro da Vida”.

2) Sua vida toda é feita das suas escolhas, mas há sempre um ser superior te auxiliando, independente da crença que segue. Não se sabe o que será daqui 1 segundo, mas independente da escolha que você fizer, a oportunidade foi feita numa mistura das escolhas que você fez anteriormente e numa ajuda divina em te fazer consertar ou aprender alguma coisa com o que decorrer da sua [escolha]. Escolher a pêra ou o bolo é uma decisão sua, mas é uma forma de Deus tentar te colocar no rumo certo para a felicidade  e sucesso; o ser superior não interfere nas suas escolhas, mas te mostra os dois caminhos possíveis.

3) Sua vida é um improviso pré-determinado apenas pela sua vida. Definiria que suas escolhas e oportunidades são baseadas nas condições momentâneas, nas escolhas que fez anteriormente e nas experiências pelas quais passou. Independente de ter escolhido o bolo de chocolate ou a pêra, essa escolha é com base numa condição momentânea (estar ou não de dieta, talvez), numa experiência anterior (gostar ou não do bolo de chocolate ou da pêra) e na sua vontade em comer o bolo ou a fruta. Não possui “interferência” divina. Tudo é consequência das escolhas que você fez.

Bom, vou explicar minhas interpretações e inevitavelmente terei que falar de Deus, pois é uma análise do quanto Ele interfere em nossas vidas.

A primeira é a que eu menos concordo. Não sou ateu, estou longe de ser um, mas tenho consciência total que Deus, ou qualquer outro ser superior, não controla 100% da nossa vida, seja para fazermos coisas boas ou ruins. Pode parecer que ninguém acredite nela, mas a verdade é que muitos creem que exista um “livro” onde toda sua vida esteja escrita. Já vi muita gente dizer que aconteceu alguma coisa porque foi Deus quem quis, seja uma catástrofe ecológica ou um caso de assassinato. Só que se assim for, porque deveriam acreditar na justiça de Deus se todas as coisas boas e ruins que as pessoas fazem são obras de Deus? E também não se deve esquecer que se o mundo está ruim desse jeito é porque foi Deus quem escolheu nossas decisões para tornar o mundo assim, ou seja, somos meras marionetes da vontade de Deus.

A segunda acho que se assemelharia mais ao meu ponto de vista, e acho que ao ponto de vista da maioria das pessoas. Creio que Deus nos auxilia em todos os momentos mesmos que os erros sejam apenas nossos. Até porque os erros em decorrência de nossas escolhas são sempre uma forma de nós aprendermos o melhor. É como numa prova de matemática quando não sabemos resolver algum cálculo: nós erramos, revisamos e aprendemos o modo certo. Vai de cada um pensar no quanto esse ser superior influencia ou não nas oportunidades que surgem, pois pode auxiliar mais uma pessoa a se livrar de uma depressão e menos quando outro depressivo resolver se matar.

O terceiro é o que imagino ser o ponto de vista ateu, pois neste, tudo depende apenas de nós. Nossa vida é mera consequência das nossas escolhas e opiniões, nada mais. Sendo assim, se escolhemos pular ou não de um prédio, é mera influência da nossa cabeça, da nossa consciência, e de nada mais. Assim como, entre a pêra e o bolo, preocuparmo-nos apenas com nossas vidas.

Não há o que se discutir quando o assunto envolve as crenças de alguém, pois NUNCA chegaremos a uma conclusão concreta ao menos que seja provada e existência ou a não existência desse ser superior. E caso ele realmente exista, que ele conte todas as influências que teve na História do Universo, pois, caso contrário, ainda haverá ceticismo quanto à participação Dele em nossas vidas.

Caso alguém tenha algo a favor ou contra minhas análises, que diga o que pensou no campo dos comentários, será de grande ajuda. Não quero polemizar nem dizer que um outro é certo, só quero ter clareza das possibilidades.

Paulo Henrique Dragoni

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , , ,

5 pensamentos sobre “As escolhas

  1. Escolhas…elas ainda me matam um dia…
    Mas eu fico com a segunda opção: Deus não interfere diretamente nas nossas escolhas, quem quer saber a “opinião” dEle, tem que procurar na Bíblia.
    Não acredito que ele vá me impedir ou me obrigar a tomar uma decisão pois a própria Bíblia fala do livre-arbítrio e das consequências, boas e ruins, das nossas escolhas.
    Deus não é um ditador.

    Beijinhos!
    Mari

    • PH Dragoni disse:

      Não disse que Deus é um ditador, mas muitos creem que nossa vida está escrita e que tudo acontece por obra dEle. Então se há uma enchente, se você ganha na loteria ou se perde tudo, a culpa não é das escolhas que você fez, mas sim de Deus, pois ele quem escreveu a sua vida, e você tem apenas que cumprir o trajeto imposto por Ele.
      É complicado de entender pois é um tema delicadíssimo, mas vale a pena refletir um pouco a respeito.

  2. Kobayashi disse:

    Sinceramente…Eu fico com a terceira opção. Não que eu seja ateu em si mas não gosto da ideia de um ser superior controlar a minha vida e todas as minhas escolhas já estejam escritas num livro. Isso dá uma sensação de total impotencia. Acredito que algumas decisões você é auxiliado, como uma mão que te segura para você não pular do predio ou apertar o gatilho

    Mas em geral..a terceira opção. Somos responsaveis pelos nossos atos. Somos refens das nossas escolhas Mas é como o grande Raul dizia: Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.

    Talvez no futuro eu pense de outro jeito. Talvez falte-me experiencia, com certeza.

    Por enquanto é so. Abraço cara. Faz tempo que não comento aqui mas Sempre leio seus textos. Acredite, eles ajudam pra caralho

    Continue assim Velho. Falow

  3. rsynn disse:

    Quem naum vive preocupado com as escolhas não tem vida!
    Para alguns, viver já é uma escolha!

    Ótimo Post!

  4. A coisa mais difícil e mais decorrente na vida é a escolha. Está presente em tudo que vivemos. Alguns pedem auxílio a Deus, através de uma oração. Outros preferem seguir seus próprios instintos, sejam eles impostos por Deus ou não. vai da crença e da ESCOLHA de cada um.

    Parabéns pelo texto PH!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: